Baixe o livro: Como enfrentar a depressão.

Compartilhe nas redes.

Depressão. A doença que atinge milhões.

A depressão é uma doença que tem atingido milhões de pessoas mundo afora.
Muitos são os conceitos a respeito dessa enfermidade, alguns errôneos, como dizer
que ela é pecado.

Ninguém está imune a depressão, e ela tem corroído muitas vidas em
nossos dias. O desafio é saber como passar por ela, como enfrentá-la. Na Bíblia encontramos a história de muitos homens e mulheres que serviam a Deus e experimentaram a depressão, passaram pelo vale da sombra da morte, que significa as dificuldades na vida. “Ainda queeu passe pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum” (Salmo 23.4a).

E há uma grande diferença entre atravessarmos um vale e fazermos a nossa moradia no vale. Existem
situações que podemos atravessar e não criar raízes nelas, mas apenas passarmos por elas.
Em Números, capítulo 11, do verso 10 ao 15, encontramos o registro do momento em que Moisés passou muita pressão, por isso, pensou até em desistir, achando não ter mais jeito para a situação em que o povo estava vivendo. Vejamos o que diz o texto:
“Então, Moisés ouviu chorar o povo por famílias, cada um à porta de sua tenda; e a ira do SENHOR grandemente se acendeu, e pareceu mal aos olhos de Moisés. Disse Moisés ao SENHOR: Por que fizeste mal a teu servo, e por que não achei favor aos teus olhos, visto que puseste sobre mim a carga de todo este povo? Concebi eu, porventura, todo este povo? Dei-o eu à luz, para que me digas: Leva-o ao teu colo, como a ama leva a criança que mama, à terra que, sob juramento, prometeste a seus pais? Donde teria eu carne para dar a todo este povo? Pois chora diante de mim, dizendo: Dá-nos carne que possamos comer. Eu sozinho não posso levar todo este povo, pois me é pesado demais. Se assim me tratas, mata-me de uma vez, eu te peço, se tenho achado favor aos teus olhos; e não me deixes ver a minha miséria”. Moisés, que teve a alegria de ver o Senhor, de receber as tábuas da Lei (leis morais que Moisés havia recebido de Deus para o Seu povo), em um momento de tanta pressão ele
disse, parafraseando: “Senhor, eu não estou aguentando, está difícil, mata-me de uma vez”.
Já no Salmo 88 lemos que Davi estava passando por uma situação delicadíssima e experimentou o mesmo que Moisés. Nos cinco primeiros versos Davi abriu o coração e disse: “Ó SENHOR, Deus da minha salvação, dia e
noite clamo diante de ti. Chegue à tua presença a minha oração, inclina os ouvidos ao meu clamor.
Pois a minha alma está farta de males, e a minha vida já se abeira da morte. Sou contado com os
que baixam à cova; sou como um homem sem força, atirado entre os mortos; como os feridos de
morte que jazem na sepultura, dos quais já não te lembras; são desamparados de tuas mãos”
(Salmo 88.1-5).
Jeremias também passou por momentos assim, como lemos no capítulo 20, do verso 14 ao 18. Ele abriu o coração e disse ao Senhor: “Maldito o dia em que nasci! Não seja bendito o dia em que me deu à luz minha mãe!
Maldito o homem que deu as novas a meu pai, dizendo: Nasceu-te um filho!, alegrando-o com isso grandemente.

Jó, um homem tomado pela depressão.

Seja esse homem como as cidades que o SENHOR, sem ter compaixão, destruiu; ouça ele clamor pela manhã e ao
meio-dia, alarido. Por que não me matou Deus no ventre materno? Por que minha mãe não foi minha sepultura? Ou não permaneceu grávida perpetuamente? Por que saí do ventre materno tão-somente para ver trabalho e tristeza e para que se consumam de vergonha os meus dias?” Jó passou por esse vale, ele foi marcado
pela depressão, visível por meio de algumas expressões que disse.

No verso 3, capítulo 3 de Jó, lemos: “Pereça o dia em que nasci e a noite em que se disse: Foi concebido um homem!” No mesmo capítulo, nos versos 11 e 13 ele diz: “Por que não morri eu na madre? Por que não expirei ao sair dela? […] Porque já agora repousaria tranquilo; dormiria, e, então, haveria para mim descanso”. Versos 20 ao 23: “Por que se concede luz ao miserável e vida aos amargurados de ânimo, que esperam a morte, e ela não vem?

Eles cavam em procura dela mais do que tesouros ocultos. Eles se regozijariam por um túmulo e exultariam se achassem a sepultura. Por que se concede luz ao homem, cujo caminho é oculto, e a quem Deus cercou de todos os lados?”
Outro homem que enfrentou a depressão e que encontramos nas Escrituras é o profeta Elias. Logo depois de ter tido a vitória contra os profetas de Baal, e de vitórias tão gloriosas, da proclamação de todo o povo: “Só o Senhor
é Deus”, Elias passou por esse vale.

Em 1 Reis, capítulo 19, do verso 1 até o verso 5, lemos: “Acabe fez saber a Jezabel tudo quanto Elias havia feito e como matara todos os profetas à espada.
Então, Jezabel mandou um mensageiro a Elias a dizer-lhe: Façam-me os deuses como lhes aprouver se amanhã a estas horas não fizer eu à tua vida como fizeste a cada um deles. Temendo, pois, Elias, levantou-se, e, para salvar sua vida, se foi, e chegou a Berseba, que pertence a Judá; e ali deixou o seu moço. Ele mesmo, porém, se foi ao
deserto, caminho de um dia, e veio, e se assentou debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte e disse: Basta; toma agora, ó SENHOR, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais. Deitou-se e dormiu debaixo do zimbro; eis que um anjo o tocou e lhe disse: Levanta-te e come”.
Agora vejamos o texto de Tiago, capítulo 5, verso 17: “Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos, e orou, com instância, para que não chovesse sobre a terra, e, por três anos e seis meses, não choveu”. Elias era homem semelhante a nós, e “nós” somos você e eu.

Continue sua leitura baixando uma cópia do e-book do pastor Márcio Valadão.

 

Compartilhe nas redes.

Comments are closed